13 de abril de 2008

Dança, bailarina!

Dança, bailarina, dança! Gira, fazendo-me esquecer de mim. Ensina-me a saltar minhas tristezas e alongar minhas alegrias. Deixa-me atônita observando teus passos, maravilhada com tua leveza. Mostre-me tua surrada sapatilha que põe em teus pés asas te fazendo voar.

Não penses que te invejo... Admiro! Ao mirar-te lembro-me um pouco de mim ainda inocente que escrevia com passos os poemas de criança, idéias infantis. Deixa-me reviver em ti, bailarina, meu sonho de menina que ficou por lá.

Hoje, bailarina, danço com palavras e apenas arrisco-me na meia ponta, imaginando como seria poder voar. Não fiques triste! São escolhas da vida, não posso mais voltar... Agora vamos, chega de conversa! Dança, bailarina, dança! Deixa a tua dança me fazer sonhar. Deixa a tua dança me ensinar a voar!

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Incrível como para nós é muito mais fácil explicar os sentimentos com a dança...
    Compor o que a alma esconde é mais fácil assim.

    Saiba que tem uma dança única em ti, onde somente teus passos a tornam completa, é a dança da vida.

    Eu te amo.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir