16 de agosto de 2008

Conseqüências

Naquela tarde em que Débora percebera que havia crescido, fez a escolha de seguir em frente, mesmo sabendo que o caminho era mais difícil. Agora, quase adulta, começava a perceber que uma escolha acarreta muitas conseqüências e que sozinha jamais conseguiria prosseguir seu caminho. No entanto, ela sentia-se preparada, não para vencer de primeira, mas para enfrentar as dificuldades e aprender com cada erro. Não porque nela havia muita força, mas porque quem a conduzia era forte. Sim, aquele que havia mandado as pombas e as roupas novas. Seu melhor amigo, agora.
Certa manhã, Débora estava sob uma árvore, se protegendo da chuva que caía. O inverno estava rigoroso aquele ano. Ali, escondida, conversava com seu amigo. Sentia-se confusa sobre o modo que deveria proceder em determinadas situações. Havia obstáculos que pareciam intransponíveis!
Porém, cheio de ternura ele disse:
"Não te mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo por onde quer que andares."**

**Josué 1:9