3 de novembro de 2010

Gostaria

de subir numa árvore
de andar na praia
de ver o pôr-do-sol
de correr na chuva
de ler poesia
de tocar violão
de plantar flores
de colocar o quarto de cabeça pra baixo
de comer um doce
de dar um abraço
de andar de mãos dadas
de balançar na rede
de ver o céu estrelado
de olhar bem nos olhos
de escrever um livro
de dizer tudo
de...

E por que não faz?

Tudo tão simples.
Tudo tão complexo.